segunda-feira, 13 de junho de 2016

O Ciúmes


O Ciúmes


Ao deixar a roupa suja no lugar apropriado, tropecei no diário da minha irmã de 13 anos. Logo pensei: o que eu faço agora? Eu sempre tive ciúme de minha irmã caçula.

Seu sorriso charmoso, sua personalidade cativante e muitos outros talentos ameaçavam meu lugar como filha principal. Eu competia com ela silenciosamente e via crescer suas habilidades naturais. 
Por conseqüência, nós raramente nos falávamos. Eu procurava oportunidades para criticá-la e superar seus feitos. Agora seu diário estava aos meus pés. Eu não pensei nas conseqüências.

Não levei em conta a sua privacidade, a moralidade de minhas ações, nem seus sentimentos, apenas saboreei a chance de encontrar segredos suficientes para sujar a reputação de minha concorrente. Raciocinei que seria meu dever como irmã mais velha, verificar suas atividades. 
Apanhei o livro do chão e o abri. Folheei as páginas, procurando por meu nome, convencida de que descobriria tramas e calúnias. Quando encontrei, o sangue gelou em meu rosto. Era pior do que eu suspeitava. 
Senti-me fraca e sentei-me no chão. Não havia nenhuma conspiração, nenhuma difamação, havia uma descrição sucinta de si mesma, de seus objetivos e de seus sonhos seguidos por um curto resumo da pessoa que mais a inspirava.

Eu comecei a chorar... eu era sua heroína. Admirava-me por minha personalidade, minhas realizações e, ironicamente, por minha integridade... queria ser como eu. Tinha me observado por anos, quieta, maravilhando-se com minhas escolhas e ações.

Eu parei a leitura, golpeada pelo crime que havia cometido. Eu tinha perdido tanta energia para mantê-la fora do meu caminho... Agora eu violara sua confiança lendo as sérias palavras que minha irmã tinha escrito, me pareceu derreter uma barreira gelada em meu coração e eu desejei conhece-la de verdade. 
Eu podia finalmente pôr de lado a insegurança estúpida que me manteve longe dela por tanto tempo. 
Naquela tarde, quando consegui me sustentar sobre as próprias pernas decidi ir até ela. Mas desta vez para conhecer em vez de julgar, para abraçar em vez de lutar. Para viver como verdadeiras irmãs. 
Por vezes temos agido como crianças com relação às pessoas que nos cercam. Imaginamos que não gostam de nós, que desejam nossa infelicidade, nossa queda.

Importante não estabelecer pré-julgamentos em nenhuma situação, por mais que os fatos conspirem a favor. Nem sempre será possível descobrir os sentimentos dos outros pelas aparências.

Há pessoas que não conseguem exprimir seus sentimentos e dão impressão de frieza ou indiferença.Por essa razão é que o pré-julgamento seria altamente prejudicial.

Assim sendo, se for preciso imaginar os sentimentos dos outros, façamos esforços para imaginar sempre o melhor. O ciúme produz o câncer da suspeita transformando os sonhos de sua esperança em pesadelo cruel que se converte em enfermidade demorada, a lhe corroer interiormente.


Autor: Desconhecido



Original

Jealousy


To leave the laundry in the appropriate place, stumbled on diary of my 13-year-old sister. Then I thought: what do I do now? I've always been jealous of my sister.

His charming smile, captivating personality and many other talents threatened my place as main daughter. I competed with her silently and watched grow your natural abilities.
Consequently, we rarely talk. I was looking for opportunities to criticize her and overcome their deeds. Now his diary was at my feet. I didn't think of the consequences.

Do not take into account your privacy, the morality of my actions, not your feelings, just relished the chance of finding enough secrets to soil the reputation of my competition. I learned quickly that it would be my duty as an elder sister, check their activities.
I got the book from the floor and opened it. I leafed through the pages, looking for my name, convinced that find out plots and slanders. When found, the blood froze in my face. It was worse than I suspected.
I felt weak and I sat on the floor. There was no conspiracy, no libel, there was a brief description of yourself, your goals and your dreams followed by a short summary of the person who most inspired him.

I started to cry ... I was their hero. Admired me for my personality, my accomplishments and, ironically, for my integrity ... wanted to be like me. He had been watching me for years, quiet, marveling with my choices and actions.

I stopped reading, struck by the crime he had committed. I had lost so much energy to keep her out of the way. Now I had violated her trust by reading the serious words my sister had written, seemed to melt a frozen barrier in my heart and I wanted to meet you for real.
I was finally able to put aside the stupid insecurity that kept me away from her for so long.
That afternoon, when I was able to sustain on their own legs I decided to go to her. But this time to meet instead of judging, to embrace rather than fight. To live as true sisters.
Sometimes we have acted like children with people around us. We imagine dislike us, wishing our misery, our fall.

Important do not establish prejudgements in any situation, no matter the facts conspire in favour. Will not always be possible to discover the feelings of others by appearances.

There are people who can't express his feelings and give impression of coldness or indifference. For that reason is that the pre-trial would be highly detrimental.

Therefore, if you have to imagine other people's feelings, we make efforts to imagine the best. Jealousy produces cancer suspicion turning dreams of hope in cruel nightmare that becomes lengthy illness, to corrode internally.

Author: Unknown

10 comentários:

  1. É, não é todo mundo que curte um batom escurão!

    Sou uma pessoa bastante ciumenta e sei como é ruim. Mas todos os dias tento controlar esse sentimento!

    Ótima segunda!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Amanda, com certeza o ciumes é uma doença que vai nos correndo aos poucos, e devemos não deixarmos ser pegos por este mal. Agradeço o carinho de sempre.
      Beijinhos!!
      Kelly

      Excluir
    2. Boa noite, Amanda, com certeza o ciumes é uma doença que vai nos correndo aos poucos, e devemos não deixarmos ser pegos por este mal. Agradeço o carinho de sempre.
      Beijinhos!!
      Kelly

      Excluir
  2. Gostei bastante do texto. Muito bom!
    Boa semana!
    Bjs,
    carolnagliati.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite! Carol, agradeço o carinho de sempre, adorei saber que gostou, tenha uma ótima semana.
      Beijinhos!!
      Kelly

      Excluir
  3. Respostas
    1. Sim o texto é lindo e nos faz refletir sobre nossas ações.
      Obrigada pela sua visita e participação.
      Volte sempre!!
      Kelly

      Excluir
  4. Oi Kelly, passando por aqui, e agradecendo, a sua simpática visita, por lá no meu canto em artandkits.blogspot.com e aproveitando a oportunidade para conhecer este seu espaço tão agradável... que virei espreitar mais vezes!...
    Óptimas partilhas, por aqui, pelo que estou vendo!
    Beijos! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  5. Oi Kelly, passando por aqui, e agradecendo, a sua simpática visita, por lá no meu canto em artandkits.blogspot.com e aproveitando a oportunidade para conhecer este seu espaço tão agradável... que virei espreitar mais vezes!...
    Óptimas partilhas, por aqui, pelo que estou vendo!
    Beijos! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Ana, agradeço a sua visita e o carinho.
      Seja sempre bem vinda!!
      Beijinhos.
      Kelly

      Excluir