segunda-feira, 16 de maio de 2016

Abraço de Deus


Abraço de Deus


É uma avó que conta que certo dia sua filha lhe telefonou do pronto-socorro. Sua neta, Robin, de apenas seis anos, tinha caído de um brinquedo no pátio da escola e havia ferido gravemente a boca. A avó foi buscar as irmãs de Robin na escola e passou uma tarde agitada e muito tensa, cuidando das crianças, enquanto aguardava que a filha retornasse com a menina machucada. Quando finalmente chegaram, as irmãs menores de Robin correram para os braços da mãe.

Robin entrou silenciosa na casa e foi se sentar na grande poltrona da sala de estar. O médico havia suturado a boca da menina com oito pontos internos e seis externos. O rosto estava inchado, a fisionomia estava modificada e os fios dos cabelos compridos estavam grudados com sangue seco.

A garotinha parecia frágil e desamparada. A avó se aproximou dela com o máximo cuidado. Conhecia a neta, sempre tímida e reservada.
- Você deseja alguma coisa, querida?, perguntou. 
Os olhos da menina fitaram a avó firmemente e ela respondeu:
- Quero um abraço. 
À semelhança da garotinha machucada, muitas vezes desejamos que alguém nos tome nos braços e nos aninhe, de forma protetora. Quando o coração está dilacerado pela injustiça, quando a alma está cheia de curativos para disfarçar as lesões afetivas, gostaríamos que alguém nos confortasse. Quando dispomos de amores por perto, é natural que os busquemos e peçamos: "Abrace-me. Escute-me. Dê-me um pouco de carinho". Contudo, quando somos nós que sempre devemos confortar os outros, mais frágeis que nós mesmos, ou quando vivemos sós, não temos a quem pedir tal recurso salutar.


****

Mas lembre-se nunca estamos sozinhos Deus esta conosco e é nos braços dele que iremos nos confortamos, nas suas palavras buscamos o amor.
Quando tudo parecer perdido, os desamores, as descrenças, as desesperanças, lembre-se Eu estou contigo, confie em Mim e sou seu amigo. 


Autor: Desconhecido


God's embrace

Is a grandmother who tells that one day his daughter called him. His granddaughter, Robin, only six years, had fallen from a toy in the schoolyard and was badly wounded the mouth. Grandma went to get the Sisters of Robin at school and spent an afternoon agitated and tense, watching the kids, while waiting for his daughter to return to the injured girl. When we finally arrived, the younger sisters of Robin ran into the arms of his mother.

Robin went silent in the House and went to sit in the big Chair in the living room. The doctor sutured the girl's mouth with eight internal and six external points. The face was swollen, the physiognomy was modified and the wires of the long hair were stuck together with dried blood.

The little girl looked frail and helpless. The grandmother approached her with the utmost care. Knew her granddaughter, always shy and reserved.
-You want something, honey?, he asked.
The girl's eyes gazed tightly grandmother and she replied:
I want a hug.
Like the little girl injured, many times we wish we take in the arms and in the nest, so protective. When the heart is torn by injustice, when the soul is full of bandages to disguise the affective lesions, we would like someone in some comfort. When we have love around, it is natural that the seek and ask: "hold me. Listen to me. Give me some affection ". However, when it is we who must always comforting others, more fragile than ourselves, or when we live alone, we don't have to ask such a salutary feature.
****
But remember we are never alone God is with us and is in his arms that we comforted ourselves, in his words we seek love.
When everything seems lost, the hates, the disbelief, hopelessness, remember I'm with you, trust me and I'm your friend.

Author: Desconhecio

2 comentários:

  1. Linda mensagem!
    Hoje no blog tem resenha de máscara de cílios de um marca nacional que eu amo!
    Beijoos <3


    Blog | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg. pela visita e participação.
      Volte sempre!!
      Beijinhos

      Excluir