quarta-feira, 18 de maio de 2016

Riqueza e pobreza

Resultado de imagem para imagens de uma menina correndo no campo
Riqueza e pobreza

Aquela mãe era muito especial. Com dez filhos, ela conseguiu educar sua filha até a segunda série, sem que ela se desse conta da pobreza em que vivia.
Afinal, a menina tinha tudo que precisava: nove irmãos e irmãs para brincar, livros para ler, uma boneca feita de retalhos e roupas limpas que ela habilmente remendava ou, às vezes, fazia.
À noite, ela lavava e trançava o cabelo da filha, para que ela fosse à escola no dia seguinte. Seus sapatos estavam sempre limpos e engraxados.
A menina era feliz na escola. Adorava o cheiro de lápis novos e do papel grosso que a professora distribuía para os trabalhos.
Até o dia em que, subindo os degraus da escola, encontrou duas meninas mais velhas. Uma falou para a outra:
– Olha, essa é a menina pobre. E riram.
Mary ficou transtornada. No caminho para casa, ficou imaginando porque as meninas a consideravam pobre. Então olhou para seu vestido e, pela primeira vez, notou como era desbotado, um vinco na bainha denunciava que tinha sido aproveitado.
Olhou para os pesados sapatos de menino que estava usando e se sentiu envergonhada por serem tão feios.
Quando chegou em casa, sentia pena de si própria. Também, pela primeira vez, descobriu que o tapete da cozinha era velho, que havia manchas de dedos na pintura meio descascada das portas.
Tudo lhe pareceu feio e acanhado. Trancou-se em seu quarto até a hora do jantar perguntando-se porque sua mãe nunca lhe contara que eles eram pobres.
Decidiu sair do quarto e enfrentar sua mãe.
– Nós somos pobres? Perguntou de repente e ficou esperando que sua mãe negasse ou desse uma explicação satisfatória.
– Pobres? Repetiu a mulher, pousando a faca com que descascava batatas.
– Não, não somos pobres. Olhe para tudo que temos. Apontou para os filhos que brincavam na outra sala.
Através dos olhos de sua mãe, a menina pôde ver o fogo da lareira que enchia a casa com seu calor, as cortinas coloridas e os tapetes de retalhos que enfeitavam a casa. Viu o prato cheio de biscoitos de aveia sobre a cômoda. Do lado de fora, o quintal que oferecia alegria e ventura para dez crianças.
– Talvez, algumas pessoas pensem que somos pobres em matéria de dinheiro, mas, temos tanto.
E com um sorriso, a mulher se virou para preparar mais uma refeição para sua família. Em sua grandeza, ela nem se dava conta que, a cada noite, ela alimentava muito mais do que estômagos vazios. Ela alimentava o coração e a alma de cada um dos seus filhos.

Autor: Desconhecido

***


Então caros amigos a vida é assim, mesmo que não tenhamos dinheiro, somos ricos, porque temos amigos sinceros, pais e irmãos amorosos,  uma linda familia, saúde, felicidade etc, lembrem-se que tudo isto é o bem mas precioso que temos, e somos felizes  simplesmente por estarmos vivos, a riqueza vem de dentro de nós mesmo. 

Original

Wealth and poverty

That mother was very special. With ten children, she managed to raise her daughter until the second grade, without her even realizing the poverty in which he lived.
After all, the girl had everything you needed: nine brothers and sisters to play with, books to read, a doll made of patchwork and clean clothes she skillfully mend or sometimes did.
At night, she washed and trançava the daughter's hair, for her to go to school the next day. His shoes were always cleaned and polished.
The girl was happy at school. I loved the smell of new pencil and thick paper that the teacher doled out for the work.
Until the day, climbing the steps of the school, found two older girls. One said to the other:
– This is the poor girl. And laughed.
Mary was upset. On the way home, wondered why the girls considered themselves poor. Then looked at her dress and, for the first time, notice how it was faded, a crease in the sheath denounced he had been tapped.
Looked at the heavy shoes of boy who was wearing and you feel embarrassed for being so ugly.
When he got home, felt sorry for herself. Also, for the first time, discovered that the kitchen carpet was old, there were patches of fingers in the paint peeled medium doors.
Everything seemed ugly and awkward. Locked himself in his room until suppertime wondering why his mother never tell that they were poor.
Decided to leave the room and confront his mother.
-Are we poor? Asked suddenly and was hoping his mother deny or give a satisfactory explanation.
-Poor? He repeated the woman, landing the knife that was peeling potatoes.
-No, we're not poor. Look at all that we have. He pointed to the children who were playing in the other room.
Through the eyes of her mother, the girl could see the fire the fire that filled the House with its heat, colorful curtains and rugs that decorate the House patchwork. See the full plate of Oatmeal Cookies on the dresser. Outside, the yard offering joy and blessedness for ten children.
-Perhaps, some people think we are poor in terms of money, but we have so much.
And with a smile, the woman turned to prepare another meal for your family. In his greatness, she doesn't even realize that each night, she fed much more than empty stomachs. She fed the heart and soul of each of its children.

Author: Unknown

***

So dear friends this is life, even if you don't have money, we're rich because we have sincere friends, loving parents and siblings, a beautiful family, health, happiness, etc., remember that this is all good but precious we have, and we're happy just to be alive, the wealth comes from within ourselves.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Boa noite, Janaína, adorei a visita e o carinho.
      Volte sempre!!
      Beijinhos.
      Kelly

      Excluir
  2. Olá, belo texto para reflexão! Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Henrique, pela visita e participação.
      Volte sempre!!
      Abçs.
      Kelly

      Excluir